sábado, 17 de abril de 2010

Livros de auto-ajuda: Eu hein!


Pois é, virou moda. Todos nos remetem aos livros de auto-ajuda se temos algum problema, como se a leitura de qualquer deles fosse suficiente para afastá-lo. Fico pensando o motivo que nos leva a crer tanto que uma leitura pode ser capaz de resolver um problema, de levá-lo para longe. Será mesmo que estas pessoas que lêem tais livros realmente resolvem seus problemas? Será que alguém que está atolado de dívidas, e por isso mesmo, está completamente despirocado, estressado, vai resolver o problema lendo um livro de auto-ajuda?

Materialista, dirão alguns, somente porque falei em dinheiro, mas não é assim. Qualquer pessoa normal, penso eu, sabe quais as conseqüências de uma vida sem “dindin”. Se você é casado, certamente, brigará muito mais com a sua parceira ou parceiro. Se for solteiro, com certeza, a namorada vai se afastar, afinal ninguém quer ficar fora do acontecimento, pois é assim que ficamos quando não temos dinheiro para freqüentar os lugares que as pessoas dizem que é Chic, que tá na onda, enfim, que é “in”. Será que acharemos solução para estes casos em livros de auto-ajuda. Penso que não, até piora se procurarmos nele alguma resposta, pois para tentar encontrá-la temos que gastar o dinheiro que não temos para comprar o tal livro, embora seja “in” ler estes livros.
Bom, problemas de dinheiro, com certeza, livros de auto ajuda não resolvem. Todavia, sigamos com outros acontecimentos que são normais na vida de qualquer vivente. O amor. Ninguém vive sem ele, mas ele traz muitos problemas, porque como amor significa reciprocidade, haverá sempre outro na história. Olhe bem! este Outro ainda é o outro a quem queremos. Acontece que este Outro tem outro Outro, e aí, problema puro. Pense no seu homem ou na sua mulher, ou no seu amor seja qual for o sexo, beijando, agarrando , tendo um caso, com uma terceira pessoa; pense pior: tendo um filho com outra pessoa durante o tempo da sua própria relação (você e ele/ela). Será que você seguiria o que um livro de auto-ajuda, com certeza, lhe indicaria? Eles indicariam o perdão, uma balançada na relação, uma nova chance. E você, será que teria estomago para seguir estes conselhos? Claro que não, você é vivo, você tem sangue, é gente. Sua reação, era querer trucidar os dois, ainda sou de opinião que só se deve trucidar um, aquele que você pensava que era só seu. Você sabe que somos bestas o bastante para pensarmos assim, e quando temos a prova de que assim não era, o culpado não é o terceiro, que pode, ou não, saber da sua existência.
Imagine se você ia conseguir perdoar um sacana ou uma sacana desta. Claro que não, e o caso não é mesmo para perdão, o perdão anula os seus sentimentos mais profundos, porque você deixa de ser você mesmo para ser o que os outros dizem que você é, aliás, como deve ser. É muito bom as pessoas que apenas querem ganhar dinheiro, que não passaram pelo que você passou, ditar normas para serem seguidas. Respire fundo! Respire mesmo, mas depois do respiro meta a porra em quem te magoou. Necessariamente, você não precisa bater em ninguém, mas se for preciso, se sua alma vai ficar melhor, bata mesmo. Um tapinha bem dado faz um efeito que você nem avalia.
Projete a seguinte situação. Voce é casado e descobre que o seu parceiro tem uma namorada/o. Caso que já dura há algum tempo, mas você só descobriu agora. Tenta ficar com a merda do companheiro, afinal vive com o desgraçado(a) há uns vinte e cinco anos, dos quais, sabidamente, você vem sendo traída(o) há uns cinco. Pior ainda, pense que o outro(a)é uma pessoa do seu relacionamento, desgraçadamente, mais jovem de que você, mais feio, pense bem, mais feio, e de nível social inferior, mas inferior mesmo. Que você faria? Ia deixar tudo para lá, fazer de conta que nada aconteceu e deixar a pressão alcançar os 20 pontos. Tá doida ou o que? Meta bronca, brigue, xingue, grite, chore, mostre o seu desespero. Você é normal, não se acanhe de nada, o ser humano, humano, gente, tem esta reação, e para isto você não precisa de porra nenhuma de livro de auto-ajuda. Tudo o que você achar correto, faça. Não mate ninguém, isto aqui não é apologia da violência, é apenas uma maneira de tirar da sua cabeça que você não precisa dar dinheiro a quem quer lhe tirar, porque nestas horas você procura ajuda em todos os lugares, do ebó à mesa branca, de Deus e do Diabo, não adianta querer esconder, é assim mesmo, e estes filhas da puta te tirando o dinheiro e a sua dignidade.
Pense outra situação, você recebe uma mensagem no seu celular de alguma “vagabunda/o, dizendo que recebeu aquela mensagem, a que vem junto com a que lhe foi enviada, do seu companheiro. Olhe velho que a mensagem é dura para você. E tipo: eu te amo, me perdoe, quero ficar com você, não sabe a falta que você me faz. Pense aí, dá para ficar inerte, dá para querer que a pessoa que causou tudo isto fique bem? Claro que não, portanto, vá em frente, xingue, rebente alguma coisa, faça qualquer coisa, jogue praga, deseje mal. Tudo isto é sadio, porque você tá colocando para fora toda a mágoa, mas não procure os livrinhos, eles vão querer te deixar inerte, uma inércia física, porque a sua alma vai estar em ebulição o tempo todo, porque ela não fez o que deveria ser feito, lá dentro tudo está queimando e você se escondendo no discurso da auto ajuda que são todos iguais, se você ler um, não precisará ler o segundo.
A única auto- ajuda que temos mesmo ao nosso favor é o velho e bom tempo. O tempo, este aliado forte da dor, vai te ajudar a sofrer, porque ele te dará a certeza de que este sofrer vai acabar. Um dia atrás do outro, você vai diminuindo a raiva, a dor, a angústia de todas as situações que você passou ou tá passando. O tempo, ele vai te mostrar que quem te causou tanto mal pode estar passando uma dificuldade maior de que a sua. Pode nunca ter paz, mesmo querendo demonstrar que está tudo bem. De repente, como um passe de mágica, você vai estar, e isto quase sempre acontece quando menos esperamos, dando risada da situação que te levou a fazer todas as tolices que um ser humano é capaz de fazer por amor. Não se arrependa, não é bom se arrepender, porque quem se arrepende é por que causou um mal, seja a si próprio, seja a um terceiro. Apenas sorria, mas nunca, nunca mesmo, esqueça ou perdoe para não correr o risco de repetir, pelo menos na mesma intensidade, a tua dor.
Se ao acabar de ler isto você ainda tiver com vontade de bater em alguém, vá correndo, a pessoa merece. Boa porrada!