terça-feira, 5 de agosto de 2014

RABUGENTO

Quando ele está na porta da casa, assim que abrimos o portão, ele entra correndo para os fundos, parece que vai procurar algo ou alguém; me disseram que ele não gosta de gatos, e, portanto, assim que entra vai verificar se tem algum no quintal.
Feito isso, ele sobe correndo as escadas onde a aula vai começar.  Ele é bem educado, embora tenha dias que esteja sem pachorra alguma para mostrar esta boa educação. Nesses dias deve acordar irritado e, não tem nenhuma vergonha de demonstrar o seu mau humor, seja para nós, seja para os seus pares.
Quando está bem, faz questão absoluta de cumprimentar a todos. Sempre estica a mãozinha e espera que a pessoa pegue nela, ou o cumprimente de outra maneira, mas ele faz questão de demonstrar que gosta, e muito de carinho, embora na rua não se comporte bem assim.
Na rua ele é um pouco diferente, diríamos até que ele é agressivo. Não de todo do mal, mas ele é daqueles que não leva desaforo para casa. Anda pelo centro da cidade todo, todos o conhecem. Ele está sempre limpo, os cabelos negros brilhando. Tem um apelido engraçadíssimo, e só depois de muito tempo é que vim entender o motivo- RABUGENTO, embora os mais íntimos o chamem de Rabu.
Todos conhecem o Rabu e sabem onde é sua casa. Ele vive no meio de atletas, e, por isso mesmo, faz IOGA. Ele é perfeito no alongamento, aliás, penso que é a hora que ele mais gosta da aula, ele se estica primeiro para frente, coloca as mãos para frente e joga todo o corpo para trás, fica perfeito, todo alongado, penso que nunca terá problemas de coluna.  A mesma coisa ele faz com as pernas, fica de quatro e estica todas as duas pernas bem para trás, e o corpo fica quase numa paralela ao chão. È muito interessante vê-lo se esticar todo.
Passa todo o tempo da aula bem junto a mestre, que é italiana e fala com ele em italiano. Quando ele tá muito inconveniente, querendo incomodar a todos na aula, ela ralha com ele em italiano, às vezes ele para, mas, outras vezes, penso que ele não quer que ela ralhe com ele em italiano, e insiste em fazer as mesmas baboseiras, vai mexe com um, deita-se nos pés de outro, impedindo que a pessoa possa fazer corretamente o exercício, no que parece que ele se diverte; quando isto acontece, a mestre tem de levantar e puxar ele para o seu lugar, que é, quase sempre, no canto da sala.
Ele não se concentra; se ouve algum som diferente, seja na rua, seja na própria casa, ele sai disparado para saber o que é: não interessa que altura da aula esteja, ele parece querer proteger a casa e a sua mestra.  Penso que ele acha que é uma espécie de segurança.
Dizem que ele é muito conquistador, não participo da sua intimidade para afirmá-lo, mas comenta-se que tem muitos filhos espalhados pela cidade. Eu pessoalmente acho que ele é um “vagabundo”, “moleque”, e que não sabe escolher direito as suas parceiras e faz filho em quase todas elas, resultado: qualquer hora vai substituir os “santos” em matéria de paternidade.
Pois é! Eu e Rabu temos encontro marcado dois dias na semana. Bem verdade que eu não sou muito amante da sua companhia, suporto-o, mas não tenho grande afinidade, mas ele parece não perceber isto e, muitas vezes não só fica me esperando na porta, como vem ficar ao meu lado quando sento no meu tapetinho para me preparar para a aula. Para me livrar dele logo, cumprimento-o, pego a sua mão, ou, como ele é baixinho, aliso a sua cabeça, mas ele é insistente, e a mestre tem que chamá-lo para que ele se afaste, aí ele vai futucar outro, ou o Tristão, ou os outros alunos.
Quando a aula começa, depois que ele se alonga, fica por ali, relaxando sempre, não faz toda a aula, deita-se e fica ali relaxando, até que resolve, outra vez, cumprimentar a todos, porque percebe que está finalizando a aula.

Pois é, eu penso que sou uma das únicas pessoas privilegiadas que tem um cachorro como colega de IOGA, pois o Rabugento é um vira lata brasileiro, baiano, arembepeiro, de pelo completamente negro,que foi adotado pela professora de IOGA e que, pasmem! É poliglota, e como tal, qualquer dia destes, vou ouvi-lo latir em alemão, ou italiano. Quem faz  alongamento na IOGA e atende à  sua dona em italiano, penso que pode fazer tudo, até latir em outro idioma. Será?