domingo, 10 de abril de 2011

Os dois zeros positivos da direita

Esta é a postagem de número 100 no blog. Acho que deve ser comemorada. Comemora-se 1000 gols de Pelé, 1000 de Romário, 100 do goleiro Cene que, contrariando a sua posição em campo, faz gols, então eu também posso comemorar a centésima postagem. Acho até que com mais direito de que eles, porque todas estas pessoas são pagas para exercerem, e bem, a sua profissão, portanto o resultando não deveria ser objeto de qualquer comemoração; eu, ao contrário deles, comecei o blog por motivos outros, que não profissionais, e tenho o prazer de, menos de um ano depois da sua criação, ter sido visitada por 5.565 pessoas de países diversos. Imagine que tenho leitor na Croácia, certamente algum brasileiro aventureiro, porque não posso me dar ao desplante de achar que é um croata que lê as minhas postagens, evidente que não todas, porque se assim fosse a estatística mostraria, ao menos, 99 visitas, o que não aconteceu, ainda espero os Emirados, a China e o Japão, seria muita pretensão?

Bom, o certo é que esta é a centésima postagem. Não sei bem como começá-la, porque queria falar de uma porção de coisas, mas só vislumbro mesmo é o número cem. O número sugere muita coisa, primeiro tem muito zero, e zero, na grande maioria das vezes, não é uma coisa boa, a não ser que esteja sempre acompanhando um outro número, porque aí ele funciona como multiplicador; 10 pode virar 100, 1000, 100000, o infinito, reparem que ele sempre tem que estar à direita, porque se ele for para a esquerda, antecedendo o número, a coisa fica preta, embora os da direita possam aparecer em vermelho, o que é outra merda. Pensem que a inferioridade que ele traduz nesta posição é tamanha que a gente ouve a expressão: “Você é um zero a esquerda”. Zero á esquerda é forte mesmo! É botar alguém muito para baixo. É uma valoração mais de que negativa. Eu nunca ouvi esta expressão em relação a minha pessoa, ainda bem! Mas já ouvi alguém falar para uma pessoa a quem muito amo e fiquei mesmo indignada, embora, eu que nunca fui nenhuma santa, já tenha despejado esta mísera expressão, em alguém. Quem a ouviu de mim, por favor, me perdoe, sou humana e a gente fala com raiva, o bom é que, ao menos alguns que já ouviram isto partindo desta minha santa boca, que devia ficar fechada mais tempo, tenham passado o zero para a direita em suas vidas e ficaram positivados. Espero, ainda, que outros consigam, estou torcendo muito, a experiência, agora, já me permite pensar assim e torcer até para quem, ainda, merece que os zeros se multipliquem na esquerda. Se no racional quero os zeros à direita, no passional, ainda tenho estes pensamentos, que embora fugazes, ratificam os zeros da esquerda.

Bem, mas também não quero fazer apologia, seja positiva, ou negativa, nem de pessoas e nem dos zeros, sejam eles, “de esquerda”, ou de “direita”, embora ache que até os da “esquerda” adorariam ter os zeros “da direita”, principalmente nas contas bancárias.

O fato é que esta é a postagem número cem. Durante quase um ano as postagens foram feitas, - o blog foi criado em  abril pela Vera, que também é a criadora das primeiras fotos e foi quem, pacientemente, me ensinou o que sei fazer com o blog em termos de colocar as postagens, fotos, “gadgets”. Acho muito engraçado as palavras que são introduzidas no nosso vocabulário por esta tecnologia, mas enfim, tenho de me acostumar, caso contrário vai aparecer um zero a esquerda no meu curriculum; como não quero isto, acrescento zeros à direita na minha conta bancária sempre em negativo e cheinha de zeros: tem horas que até me desespero com este multiplicador de tudo, de erros e acertos. O meu balanço geral sempre dá negativo e os zeros positivando a negatividade.

Vejam bem que contraste, o zero positiva a negatividade. Que perfeição de raciocínio eu tive agora, não me sabia capaz de falar do zero com tanta filosofia, positivar a negatividade foi longe, acho que estou muito feliz por ter conseguido dizer que o zero é de uma importância fundamental para as pessoas, porque ele, efetivamente, é um fator, de alegria, de realização, de felicidade, porque ele consegue o negativo e positivo ao mesmo tempo, ele pode, tanto trazer a felicidade como ser o algoz da nossa infelicidade. Mesmo quando ele vem do lado direito do número, pode significar muita dor, muito desespero, como também pode significar vitoria, felicidade. No meu caso, do "mot" que me levou a escrever este texto, ele é um elemento de prazer, de felicidade, de alegria. Quando, entretanto, olho a minha conta bancária, ele me dá a terrível sensação de “derrota”, de imperícia, de culpa, não sei lhe dar com dinheiro e faço besteiras, embora algumas delas não me tragam arrependimento algum, mas outras me dão uma terrível dor de consciência, mas os sacaninhas dos zeros ficam lá bailando diante dos meus olhos culpados.

Sim, mas eu estava falando do blog e da minha centésima postagem, mas as porras dos zeros ficam como flashes na minha mente. - Vá lá, fale de mim e não das suas cem postagens, até porque se eu não existisse você não poderia definir, tão bem, a quantidade de postagens. Eu sou retado, eu posso definir, determinar, sou quase Deus; posso, pois, tanto lhe dar prazer, como tirá-lo. Não me importo se me acham despótico, ditador; gosto de ser assim, portanto, como sou quase um Deus, vá esquecendo da sua postagem de número cem, que se você quisesse poderia ser a de número mil, embora eu não saiba se você consegueria leitores suficientes para ler tudo isto, e vá falando mais de mim e das minhas qualidades.

Vocês estão vendo que estou tentando afastar os zeros da minha “estória”, mas está sendo impossível. Queria falar de algumas postagens, mas o zero não deixa, me diz logo: “Você vai falar de como aprender a pagar dívidas? Não vai não: adoro aquela postagem porque ali eu fiz uma grande festa, e somente por causa de mim, da minha facilidade de multiplicação, você achou interessante o texto de Aristófanes que inspirou a sua postagem, embora eu ache que você queria mesmo era falar de mim para retirar a minha  importância aquela que tive para engrandecer as dívidas do personagem.”

Miserável de zero: pois não é que agora, que estou pensando neste cretino, vejo quantos zeros foram necessários para o personagem de Aristófanes se desesperar e procurar uma maneira “ilegal” legal de não pagar os seus “zeros” da direita?

Esqueço Aristófanes e o não pagar as dívidas, embora particularmente, isto seja impossível, e vou para a triste constatação: Que belo texto! Acho eu, mas aí o zero, de novo me cutucando: “Sabe quantos zeros estão incluídos naquela postagem? Ha.Ha.Ha....!Milhões deles, todos multiplicadores da negatividade. Eu fico orgulhosíssimo de mostrar ao mundo as cifras da miséria, do descaso, da impunidade, da imoralidade, da falta de humanidade, da falta de ética, da falha do direito, enfim, posso, apenas com o acréscimo de um dos meus irmãos à minha direita, acabar com a mentira, com a política apregoada pelos falsos defensores dos direitos humanos que somente sabem falar e não agem e deixam que os meus irmãos se acumulem à minha direita demonstrando o que eles tentam negar”

Sai para lá seu zero! Quero falar de coisas amenas, comentar meus posts. Se você não lembra, estou comemorando as cem postagens do blog.

- Já lhe disse que você poderia estar comemorando a de número mil, aliás, até eu ficaria orgulhoso de você, como ficarei, porque tenho certeza que, mais dia menos dia, você vai conseguir isto, embora eu tenha que admitir que vai ser preciso que eu acrescente alguns irmãos no saldo da sua conta bancária. Não se preocupe, porque espero que a negatividade se transforme em positividade, e você possa continuar tendo inspiração e escrevendo mais e mais.

Rapaz! Vou ter de parar: você está me atrapalhando e eu já não consigo me lembrar das postagens que quero comentar.

Cascais- Portugal

Praia do Piruí-Arembepe
 -Nada; você queria falar mesmo é de Portugal e de Arembepe, seus dois extremos atuais, ambos que lhe fazem acrescentar zeros positivos de negatividade na sua conta bancária, mas que você ama de paixão. Ambos merecem cada escrito seu e por isso mesmo você precisa ter paz e muitos zeros de direita positivos para continuar mostrando o que muitos não podem ver, mas podem sentir e se transportar, curtir através de você, sonhar guiados pelo seu sentimento, pela sua sensibilidade.

Olhe zero, vou parar; você tá querendo colocar palavras na minha boca, como a sua mania de ditador, você quer que eu fique aqui sem qualquer modéstia elogiando minhas próprias criações, sem qualquer pudor. Não quero ser narciso, portanto, vou ter de parar, mas antes tenho de deixar um agradecimento a todos quantos visitaram este blog. Muito obrigada mesmo! E que os zeros positivos de direita $$$$$$$$$ se multipliquem em suas vidas, Que os zeros positivos de direita tragam para vocês muita paz, muitas realizações, muitos sonhos realizados e realizáveis.

Viram! O zero, nem neste momento, me deixou em paz, então vou mudar o título da postagem: é o melhor que faço.

 Pirui- Arembepe


Arembepe, 10 de abril 2011