quarta-feira, 21 de março de 2012

Para a próxima semana santa

Uma nova semana santa se aproxima; que tal fazer um bacalhau?


Vou dizer-lhes duas maneiras de fazê-lo: uma para quem tem mais dinheiro, outra para quem tem pouco, ambas com resultados fenomenais para os amantes deste peixe. Primeiro vamos  à de “pobre”. Esta é a receita de Lula Santa Rita, meu tio, em tempos de vacas magricelas na Cidade  Nova.
Compre aquele bacalhau fininho, aquele  bem  salgado mesmo que vende em qualquer  buteco de esquina, antigamente era assim, qualquer  buraco voce encontrava este bacalhau, bom mas isto não vem ao caso.
Pegue o bacalhau fininhoe tire o sal, não deixe ele muito tempo na a´gua, porque ele se desmancha, não se preocupe se ele ficar salgado.
Coloque  o bicho inteiro em um fogareiro, quando falo fogareiro é porque tem de ser na brasa. Bote o miserável em uma grelha para ele nao correr o risco, outra vez, de desintegrar-se. Quando estiver  assado tanto de um lado quanto de outro, (não se preocupe se ficar  preto quase queimado em alguns lugares), tire e desfie. Aqui você tem duas opções: ou você faz  uma farofia com as lascas, tendo o cuidado de antes  dar uma sova nelas em um pilão, ou então, envolvidas  em um pano fino, tenha certeza que fica uma delicia, ou então vá para a salada, ou se quiser, faça os dois dependendo da quantidade de bacalhau que tiver.
A salada leva: cebola, pimentão, tomate, azeitonas e coentros, tudo cortado em cubinhos, o coentro pinicado, muito azeite de oliva. Não esqueça da cerveja bem gelada, é um senhor acompanhamento para este bacalhau, que serve tanto de “tira gosto” como de refeição completa, pois você pode comê-lo com arroz. A farofia é feita com azeite de oliva, aquantidade é você quem dosa: se quiser ela bem moilhada  muito azeite, mais seca, menos azeite.
Ah! como a semana é santa, que tal  um bom vinho para acompanhar a farra?
Agora a outra, dizem que é a Gomes de Sá, para mim é o que faço realmente por  ter aprendido com a  minha mãe, sem qualquer identidade, embora com a Senhora  Consuelo querendo se apropriar da “receita de família”, não vai conseguir porque não tem a manha.
Ingredientes –Bacalhau, Batatas, Alho, Cebolas, Azeite, folhas de louro(quatro ou cinco) se quiser, ovos e azeitonas pretas
Comece por demolhar o bacalhau(tirar o sal e fazê-lo crescer)em Portugal cresce mesmo, é impressionante.Não vou dizer  quanto voce deve colocar de bacalhau porque vai depender de sua  condição financeira e da quantidade de pessoas; não seja sovina, o  prato nao merece isto.
Desfie o bacalhau em lascas grandes; se você comprou do bom ele pode ser  tirado em conchas.
Corte, se for para 1 Kg de bacalhau, duas a três cebolas médias, em rodelas bem finas, tendo o cuidado de desfazer  as rodelas. Faça o mesmo com quatro ou cinco batats  médias(as rodelas devem ficar  mais ou menos finas), e com cinco ou seis dentes de alhos grandes.
Para um kg de bacalhau utilize um pirex médio:
Preparação:
Coloque no fundo  do pirex uma boa dose de azeite e jogue um pouco do alho; coloque uma camada do bacalhau, depois uma camada de batatas, por fim uma de cebola(siga esta ordem) não altere as camadas, porque  a cebola solta água e ajuda no cozimento das batatas. Coloque  mais alho, duas folhas de louro, azeitonas (sem caroço), aqui você pode colocar, dependendo do sal do bacalhau, um poucode sal, mas dissolva em um pouquinho mínimo de água e distribua por todo o prato, regue com muito azeite, não tenha qualquer pena do miserável.
Recomece as camadas:  bacalhau, batatas, alho, cebola, o louro. Se você  quiser usar ovos eles vão entrar agora, logicamente depois de cozidos e fatiados. Reque  generosamente com azeite.  Coloque no forno médio e  quando você enfiar o garfo na batata e ela estiver cozida, o bacalhau está bom. O cheiro é extraordinário quando começa a fervura no forno, todos os seus vizinhos  vão sentir o cheiro, os mais intimos são capazes de ir ter com você para lhe pedir um pouquinho.
Se o pirex for fundo, e se ainda tiver  os ingredientes, pode  colocar outra camada.




Bom Apetite,boa Páscoa e não esqueçam do vinho e do pão.