terça-feira, 16 de fevereiro de 2016

Um passeio em Cascais

Acordei com uma imensa saudade de Portugal, por este motivo, resolvi levar todos para um passeio que adorava fazer, sem me importar com o tempo que estivesse fazendo, ou melhor: fosse verão ou inverno. Era apenas não estar chovendo e lá ia eu e, convido vocês a passearem comigo.
Se você está no Centro de Lisboa se encaminhe para o Cais do Sodré. Se estiver na Marques de Pombal, Duque D ´Ávila, Avenida da Liberdade, Saldanha, Parque Eduardo VII, apenas ande, desça a Liberdade toda vagarosamente olhando com o olhar de ver todos os detalhes. Se for preguiçoso pegue o metro linha azul até o Chiado e de lá passe para a linha verde sentido Cais Sodré: mas eu não aconselho, porque Lisboa é linda de se ver, se sentir, conhecer. Quando você chegar ao fim da Avenida da Liberdade, antes de chegar ao Rossio, olhe bem a estação ferroviária que fica no Restauradores. Imperdível! Tire uma foto, não perca isto de maneira alguma. Se for umas dez a onze horas da manhã, ou até antes, ou depois, fica a seu critério, entre no Beira Gare e coma uma bifana, ou um prego, ou qualquer coisa que lhe apetecer. Se tiver com muita sede eu recomendo que você tome logo uma imperial, é para ficar logo no clima. Se não quiser perder tempo, siga direito pela Rua da Prata, Rua Augusta ou Rua do Ouro; eu prefiro a
Rua Augusta por tudo que nela se contém: pela calçada linda, pelo movimento, pelas lojas da Zara, da H&M, Mango e tantas outras, pelos sapatos, pelas gravatas, enfim, gosto de andar por ali, mesmo quando chove e as pedras ficam brilhando, sensacional. Além do mais, você pode visualizar, desde o começo da Rua, o Arco, coisa bela da arquitetura.  Pois é, passou o Arco? Chegou á Praça do Comércio, viu o Tejo lá no fundo. Diga-me lá: Imperdível não é?  Mas não fique aí muito tempo, porque quero mesmo te levar é em outro sitio, você terá muito tempo de olhar o Tejo e conhecer as ruelas de Alfama, os becos de Lisboa, o Bairro Alto, mas hoje não: hoje o dia é diferente, é dia da “linha”.

Chegou à Praça, siga pelas arcadas até a Rua da Alfândega; fica ao lado direito do Arco, você passa em frente ao Tribunal de Justiça, acho que é este o nome, ou será Ministério, não sei, mas isto no momento não interessa. Siga a Rua da Alfândega, olhe os elétricos passarem, os bondinhos, o 15 vai até Belém, depois falo deles, porque eles oferecem cada passeio sensacional por Lisboa, mas vamos chegar ao Cais do Sodré.
Chegou? Siga até a estação. É este prédio que está do outro lado da Rua, um prédio lindo que foi devidamente recuperado. Vá ao guichê, eu acho mais fácil, embora tenha as maquininhas que você pode comprar o bilhete. Eu compro no guichê, questão de comodidade.  Peça um bilhete para Cascais. Vá para a plataforma de embarque.  Se tiver opção, pegue o trem que segue direto, ou seja: não para em todas as estações, mas não há nenhum problema se parar, você fica conhecendo melhor
tudo, têm estações modernas e estações antigas, tudo é lindo e maravilhoso.
O trem saiu já? Que bom! Procure sentar-se como se estivesse indo mesmo, digo isto porque os comboios têm lugares que você senta de costa para a direção que está indo: não recomendo a ninguém principalmente se a pessoa está passeando, querendo olhar com os olhos de ver. Fique atento sempre à sua esquerda, é ai que a coisa é mesmo sensacional.  Você está vendo o Tejo à sua esquerda? Viu como ele é lindo. Encobriu? Não se preocupe, ele retornará logo, enquanto isto, vá vendo as estações de Santos, Alcântara. Viu quantas discotecas tem neste pedaço?  Guarde um dia para elas.  Há muitos restaurantes aí que ficam em cima, literalmente do Tejo. A noite é intensa neste pedaço.  Todavia esta não é a nossa meta. Hoje vamos mesmo é ver o mar e conhecer um pouquinho da Vila de Cascais.
O Tejo reapareceu? Você está reconhecendo aquele monumento à sua esquerda?  Claro que está, tenho plena certeza, todos os brasileiros o conhecem, o nosso Brasil começou dali, ao menos em intenção. Daí é que Pedro Alvares Cabral partiu para a viagem que “nos encontrou, nos descobriu": há controvérsias, que aqui não interessam. Guarde um dia para vim aí neste sitio, é sensacional você vê a história tão próxima de você.  Sevocê conseguir vislumbrar, porque o trem passa rápido, veja do outro lado,
à sua direita, o Mosteiro dos Jeronimos, maravilha da arquitetura manuelina.  Não perca por nada.  Agora vem Algés, se eu não fosse com você nesta viagem, era daí que eu partiria, porque morava em Carnaxide, que fica bem próxima desta estação.  Ele para ai, tenho certeza, mesmo aquele trem rápido que para em poucas estações para em Algés. Agora fique atenta, você vai ver o Tejo se encontrar com o Oceano e ir embora de Portugal para o mundo. Há um marco, penso que Caxias, agora você já esta no mar, continue olhando já com os olhos voltados, mas para frente, porque ai você vai começar a avistar Cascais lá na pontinha, onde sua vista quase não alcança. Certo que ainda passaremos por muitos lugares, Carcavelos, Oeiras, Paredes São João do Estoril, São Pedro do Estoril, Estoril, Monte Estoril. Guarde este nome – Estoril – temos uma programação para ele. Tem outras paragens, mas agora esqueci. A minha vontade é tanta de chegar a Cascais, que termino por esquecer-me de alguns lugares da “linha”.
Passou por Estoril? Olhou à sua direita, viu que jardim mais lindo. Lá no alto deste Jardim está o famoso Cassino Estoril.
Comece a se preparar para emoções nunca sentidas, o comboio esta parando em Cascais.  Olhe bem a estação, ela é antiga. Podia ser melhor tratada, mas eu gosto mesmo assim. Passou o lugar do ticket? Pronto agora dobre, mais uma vez, á esquerda. Siga pela rua calçada com pedras portuguesas. Não tenha a menor pressa, vá vagarosamente, você não vai se perder não se preocupe.  Há uma esplanada sensacional à esquerda, mas não vá ai agora, vá para a direita, desça toda a rua com calçamento.
Antes, porém, uma paradinha para um dos melhores pastéis de bacalhau de Portugal, pelo menos para mim, fica do lado direito, em uma pequena tasca, não há como errar, porque ela é a primeira que você vai encontrar assim que dobrar a direita na rua com calçamento.  Acabou? Comeu quantos? Eu como dois quase sempre. Ah você tomou uma imperial? Claro que sim, nada melhor para acompanhar um pastel de bacalhau, de que várias imperiais. Mas está começando o seu passeio, vamos lá.  Acabe de descer a rua, lá no final você tem várias opções, mas eu prefiro dobrar a esquerda, tenho uma queda por ela, mas a verdade é que você vai dar de cara com o mar, e isto me fascina.  Mas você dá uma pequena olhada no mar e volte, pois tem muita coisa que ver ai em Cascais.  Tá de frente para o Hotel Baía?  Tá sim, eu sei que está: então vá para esquerda, mas sempre indo para frente.  Você vai dar de caras com ruelas. Aí dentro destas ruelas é ótimo, come-se bem e tem um “mojito” fenomenal, mas não quero que se quede aí. Veja estes bares e volte em direção ao mar. À sua direita você vai ver uma rua com escadarias, linda a Rua, vá subindo devagarinho.  Encontrou um arco do lado esquerdo? Veja o que está escrito nele: "Aqui se


reuniam os homens bons”. Fique ai embaixo um pouco, você pode virar um deles (kkkkkk). Continue subindo, vai sempre para a esquerda, vá subindo, subindo, subindo. Achou a Igreja?  Olhou bem a praça.   Do outro lado você está vendo outra Igrejinha?    Atravesse e entre no Jardim que fica ao lado. Acredite que este pedaço de terra foi uma doação de alguém para a Vila de Cascais. Eu, se dono fosse, sinceramente, seria bem egoísta e não ia partilhar isto com ninguém, Mas tem coração para tudo.  Se gostar de flores, de natureza, dê uma boa caminhada neste jardim, é sensacional, mas não o percorra todo, ele é enorme e você precisa se deliciar com mais coisas neste local Siga o caminho que a seta indica para o mar, ou para uma igrejinha. Vá andando, tome folego, agora você vai ter um deslumbramento mesmo. Viu a Igrejinha? Linda não é? Agora olhe para o lado direito? Tá vendo o castelo? Chegue perto e veja como é bom ser nobre, rico.  Olhe como a mordomia tem
encantos, sinta.  Notou que o castelo fica numa espécie de enseadinha? Pois é fica mesmo, a água do mar entra ai até a base do castelo. Dificilmente o castelo seria alcançado por aí, pois quando a maré está cheia mesmo é impossível chegar até ele. Agora saia do Jardim. Vá até a pontezinha.  Chegou? Olhou direito?  Acredita no que está vendo? Existe, existe sim! Tá vendo o farol?  Tá vendo os barcos ao longe?  Fique ai um pouquinho.
Já são que horas? Quase quatro da tarde?  Agora vamos parar um
pouco para degustar a culinária portuguesa; Tá na ponte não é?  Olhe para a sua esquerda. Tá vendo uma escadinha? Desça ela. Achou o bar?  Achou sim, se você não encontrar ele caiu no mar, mas como você está ai, você achou. Sente em uma das mesas em que você possa ver o mar. Impagável.  Peça imperial, ou se preferir e tiver um dinheirinho sobrando, hoje uma coisa difícil, peça um vinho. Peça Monte Velho mesmo, eu gostaria mais do Cartuxa, “mas quem não tem cão caça com gato." Já esta sentado (a)? Já pediu o vinho ao garçom brasileiro, gordinho? Ele é meu amigo. Acredite que já comi comida que ele próprio fazia para o seu consumo, sem ter nada a ver com o restaurante. Sou mesmo uma privilegiada.  Peça para comer: UM chouriço na brasa. Comece com isto, é somente o chouriço, pão e azeite.  Se gostar de pimenta tem de pedir piripiri, se pedir pimenta eles vão trazer pimenta do reino.  Acabou o chouriço, ou já esta acabando? Peça logo uma espetada de marisco. Eu não gosto muito, porque não sou chegada a frutos do mar, mas como a lula, um camarão, enfim.  Veja as opções de peixe na vitrine, eu acho que é este o nome.  Peça mais pão.  Repare bem que tem carne, tem opções. Eu pediria uma posta de bacalhau na brasa. Imbatível, ou se preferir, uma posta de salmão. Ui.  Nem me lembro dos acompanhamentos, mas possivelmente batatas, claro e
evidente. Não se esqueça, entretanto, daquelas azeitoninhas de entrada. Gostosas.............!!!!!!!
Acabou, tomou mais uma garrafa de vinho? O dia tá querendo se
esconder. Não se preocupe. A Baía de Cascais iluminada é extraordinariamente linda. Sabe o que está à sua frente à esquerda. É a Marina de Cascais, tem bares e barcos maravilhosos. Mas não se preocupe você não tem barco mesmo, nem precisa ir lá se não quiser, mas vale a pena.  Tem uma loja que vende couro que é maravilhosa, mesmo sendo inusitado para nós, que numa marina exista uma loja de artigos de couro (inverno).
Você está olhando os raios de sol caindo na água, à maré encheu, a enseadinha está toda cheia de agua cristalina? Você pode distinguir todas as pedras, todas as reentrâncias? Ah Deus, só agradecer por este momento.  O mar está pintado de várias cores, o laranja, o prata, o seu próprio azul, e o sol vai baixando a sua guarda, e nós a nossa, frente à natureza, para aclamá-la mesmo.
Não deixe de paga a conta, aliás, coisa impossível; meu amigo não deixaria você sair assim.  Despeça-se dele, suba as escadinhas e vire à direita. Se você quiser olhar a Marina, logo depois da casa que fica após o bar, dobre a direta: é a entrada da marina, mas se eu fosse você eu seguia em frente e passaria pelo forte, e chegaria, de novo, à baia de Cascais pelo alto.  Chegou? Vislumbrou?

Sentiu?  Impossível não se emocionar. Tire fotos, muitas, você tem de guardar isto, embora não seja necessário, porque isto fica gravado em nós para sempre. Desça vagarosamente a ladeira sempre olhando para a direta. O mar, o mar, o mar, siga apenas a balaustrada. Chegou à base da ladeira, dobre para a direita e continue margeando a praia. Esta vendo umas escadinhas aí na frente? Suba e veja as casinhas baixinhas dos privilegiados que podem usufruir desta vista. Agora você vai achar uma entradinha à direta, é pequenina, mas entre. Veja a vista daí. Sentiu?  Rapaz, eu tô quase chorando.  Continue por esta ruinha linda. Não tenha vergonha de sentir inveja do povo que mora aí. Seja honesto consigo mesmo. Eu sou, tenho uma inveja da porra.
Tá saindo da rua? Viu onde você saiu?  Quase em frente ao local onde você comeu os pastéis de bacalhau.  Dobre a direita, chegue até a tal esplanada que eu falei. Se tiver coragem tome mais um chope sentadinho (a) em uma das mesas.  Continue agradecendo a Deus.  São sete horas da noite?  Se for no  verão ainda está claríssimo,  se não for, também não tem problema, tá tudo iluminado mesmo.  Saia da esplanada e siga para a direita, pegue o calçadão, vá andando.  Continue vendo o sol recolher os seus raios vagarosamente, veja os casais, as crianças, as pessoas passeando, casais namorando nas escadarias, todos olhando o mar e o por do sol, ou simplesmente sentados conversando ou namorando. É assim. Cachorros passeando com os seus donos. Continue andando. Não pare.  Tá vendo aquela casa branca enorme ali mais na frente. É um clube eu acho.  Tamaris. Antes de chegar
ali você vai ver a entrada da estação do comboio do Estoril. Entre nela e siga em frente, só saia quando você vir a rampa indicando Estoril.  Saiu? Viu o jardim, pois é, atravesse a rua e passe para o outro lado.  Tá cansado (a)?  Sente aí num destes bares da esquerda (graças a Deus ela voltou) e tome mais imperiais.  Fique atento (a) a tudo, aos que passam, aos que estão sentados, aos que conversam, aos carros estacionados; olhe as marcas. O Estoril tem fama de ter moradores ricos. Dizem que o Rei Juan Carlos, o que renunciou em favor do filho recentemente, morou aí. É possível mesmo. É ai que está o Cassino, o autódromo, quadras de tênis, Escola de Gastronomia, enfim, o Estoril é o Estoril e pronto. Sem maiores apresentações, quem está ai sabe o motivo da sua fama.
Tomou o chope? Quer encarar o cassino lá no alto? Vá subindo e chegue ao topo da ladeira e encontre a pracinha onde fica o cassino. Eu acho tudo maravilhosos, sinceramente.  Quer tomar um café sensacional? Antes de chegar ao cassino, mais ou menos no meio da ladeira, há uma cafeteria, muito boa. Eu sempre fazia isto, tomava muitas imperiais lá embaixo e depois subia até este café somente para toma o café. Coisas que aprendemos com a convivência com o português, que sai de casa, exclusivamente, para tomar um café, e é capaz de comemorar um grande acontecimento simplesmente com um café.
Bom, agora eu já te deixei em frente do cassino. Entre e divirta-se. Lembre-se que o comboio funciona até meia noite, mas na porta do cassino tem táxis que te levam a qualquer lugar a qualquer hora da noite ou do dia.  Boa Sorte!