quarta-feira, 4 de janeiro de 2012

Carta fora do baralho

Há três dias viu uma carta jogada no portão da sua casa: um três de espada. Achou interessante uma carta solitária, perdida do baralho de alguém; associou exatamente à expressão “carta fora do baralho”.
Os dias passaram, a carta continua ali, exatamente no portão da casa, parece que ninguém queria acolhe-la, nem mesmo o lixeiro. É porque ainda que o lixeiro varra a rua todos os dias, o que não é verdadeiro, porque se assim fosse, certamente, a carta não mais estaria ali. Vamos, entretanto, admitir que ele não limpa direito, ou então que a carta não está ali por acaso.
Intrigada com a insistência da permanência procura o significado da carta. Em principio, confusa, olha o que significa a carta três de paus, depois de ler muito sobre o três de paus, vê que a carta não é de paus, e sim de espada, como bem disse o site onde procurou o significado: o desenho do coração invertido identifica o naipe de “espada”. Realmente: é um coração invertido que esta na porta da sua casa, aliás, e dentro dela também, um coração que não está no lugar correto dentro do peito, ele está realmente invertido, por isso mesmo é que deve doer tanto e anda tão inquieto.
Mas o que significa um três de espada? Há de ter alguma coisa boa para ser associada àquela carta insistente, que, fora do baralho, se lhe apresenta todos os dias lembrando-lhe que ela também é uma carta fora do baralho, ao menos de alguns baralhos completos que estão sendo guardados por seus respectivos proprietários.
Vai procurando a significação da carta por etapas. Primeiro procura saber o que significa o numero três, e aí toma conhecimento de que o três é um número que significa “estabilização” em todas as culturas. Tem a ver com a formação da personalidade.
Deixa o três e vai procurar o que significa “espada”, e aí ela percebe perfeitamente qual o motivo que fez com que aquela carta ficasse ali depositada na frente do seu portão, sem sair do lugar; nem o vento, nem a poeira, nem os pés dos transeuntes fê-la movimentar-se. Ela continua no mesmo lugar. Um coração negro e invertido insistindo em lembrar-lhe o quão está descartada.  Surpreende-se, entretanto, com o que significa “espada” que é um naipe que significa “batalha e conquista”; batalhas que se travam no campo do emocional. A carta tem tudo a ver com emoção, dizem que quando ele aparece na cartomancia significa que o consulente precisa superar os medos, vencer as batalhas contra si mesmo, ultrapassar as barreiras emocionais.
Pronto! Depois de toda esta estória do significado da “espada”, ela entende perfeitamente por que a droga da carta perdida veio parar na sua porta. Realmente, ela só poderia ser uma carta fora do baralho, para voltar a participar do “baralho” ela tem de lutar muito, caso contrário, continuará “descartada”.
O três de espadas continua na porta. Como ela, não deve fazer qualquer falta, pois que ninguém veio reivindicá-lo. A esta altura, todo o baralho ao qual pertencia já deve ter sido jogado fora, porque, por mais que ela tenha sido descartada, é de extrema importância para o conjunto de cartas que forma o baralho. A sua ausência impede que qualquer jogo seja jogado. Pelo menos isto! ainda que com todo o desprezo demonstrado pelo seu antigo proprietário, ela sabe que sem ela ele já não pode divertir-se, jogar as cartas, terá de comprar um baralho novo, e ela se sente vingada com tamanha desatenção.
Reflete, sorri, percebe que aquela carta ali parada no portão da sua casa quer lhe dizer que o que ela merece é isto mesmo, um três de espada, um coração invertido, entretanto, consola-se, nem tudo esta perdido, o três pode ser a salvação de tudo, pode ser  que a carta seja o anúncio da estabilidade que tanto procura, seja emocional, seja financeira. Agradece, abre outra vez o portão, e, para seu espanto, a carta não está mais lá, foi-se, como tudo na sua vida; desapareceu deixando apenas a marca da sua efêmera passagem.