quarta-feira, 29 de outubro de 2014

Resenha - Descaminho no Caminho Real

RESENHA   

Livro – Descaminho no Caminho Real – Fé e Sexo no Caminho de Santiago
Autora – Adla Zanit
Editora – Cia do E-book
Tenho lido muitos livros sobre o Caminho de Santiago, uns bons, outros regulares, uns mais reais, outros bem irreais. Os autores sempre falam das suas experiências durante a caminhada e como esta caminhada os ajudaram a encontrar soluções para muitos problemas pessoais, mudanças espirituais, enfim.
Em todos os livros que li, e o fiz porque, quem sabe um dia, se o corpo permitir, realize o sonho de fazer esta Caminhada, certamente não por força da fé, mas por força da curiosidade, porque gostava de entender o que leva as pessoas a realizar esta peregrinação, o que acontece durante ela, e porque eles se sentem tão diferentes quando completam a caminhada, o que mais me intrigava era a acomodação, a dormida nos alberques, Além desta curiosidade, queria conhecer todos os lugares pelos quais passam os peregrinos, uma maneira, acho eu, bem criativa de conhecer o interior da Espanha (uma parte da Navarra e a outra da Galícia.
Uma coisa não iria acontecer isto tenho certeza, eu não ficaria, de maneira alguma nos albergues, abrigos para peregrinos. Não, efetivamente não ficaria, não gosto desta proximidade com o próximo que não é tão próximo assim. Além do mais, sempre achei que nestes dormitórios coletivos tudo pode acontecer, e com certeza, eu não gostaria de presenciar nada, de ser alvo de nada, enfim.
O último livro que li sobre a caminhada foi exatamente este, o da Adla Zanit e ele me surpreendeu exatamente pelo fato de que algumas coisas que a personagem pensa e verbaliza é exatamente o que acho. Ela não teve nenhum constrangimento de dizer qual o motivo que a levou a realizar a caminhada, e porque não a completou. Explorou, entretanto, mesmo sem fazer toda a rota, o que o Caminho, de acordo com os outros autores, tem em abundância, o misticismo que cerca tudo o que relaciona com ele.
Os autores, na sua grande maioria, procuram o autoconhecimento e soluções para problemas pessoais, com a Dolores não foi diferente, o que difere a personagem é exatamente o fato de ela admitir que, foi através do sexo, que ela alcançou a sua meta.
O livro é interessante sim, porque apesar de conter  uma descrição de atos sexuais, tem um enredo que cresce e desperta no leitor o desejo de saber qual será a próxima aventura sexual da personagem, o que vai acontecer no próximo dia, o que os dois personagens inventarão para realizar as suas fantasias
Por fim, e sem afastar o mito do caminho, que é o autoconhecimento, a personagem descobre o motivo da sua angústia, da sua infelicidade, que era, efetivamente, a falta de sexo, o medo dele, o tabu que circundava tudo que se relacionava com sexo, isto derivado de uma série de acontecimentos que decorreram ao longo da sua vida, que sempre comandaram as suas reações, as suas atitudes, não só em relação ao sexo, mas em face a todos os seus envolvimentos emocionais.
Sim, foi necessário que a personagem tivesse o desejo de auto encontrar-se, e foi necessário que o Apóstolo Santiago se mostrasse na figura do Armando, para que ela se libertasse e alcançasse a felicidade.
O mais interessante, entretanto, é como a autora brinda os seus leitores com um final inesperado e, ao mesmo tempo esperado e possível, afinal trata-se de percorrer um caminho místico, em que, se uma das autoras de livros anteriores pode ter uma relação sexual com um ser de outro planeta, ou um ser espiritual, por que não a Dolores?
O livro pode ser acessado através da Cia do e-book, livraria cultura, amazon e muitas outras livrarias.